sábado, 1 de agosto de 2015

Se o mundo vos odeia



Há algumas semanas o nosso Brasil sofreu um dos maiores ataques públicos dos últimos tempos ao cristianismo. Acredito que vocês já sabem de qual evento desastroso estou falando.
Neste evento demoníaco e carnal, patrocinado por muitas instituições conhecidas no país, os diversos símbolos da fé cristã foram profanados, ridicularizados, em atitude de repúdio e aversão aos princípios fundamentais das Sagradas Escrituras, como por exemplo, a família, e o casamento entre o homem e mulher, como foi estabelecido por Deus desde o princípio.
O meu objetivo neste pequeno artigo é justificar a atitude cristofóbica da massa brasileira naquela grande passeata, onde os símbolos de nossa fé foram profanados. Justificar? Como aquilo pode ser justificado? Para não correr o risco de errar, ou mesmo de falar o que eu acho ou não acho, vou apresentar a justificativa que Jesus deu para tais atos. Justificar não no sentido de defendê-los, mas de mostrar a razão pela qual eles foram realizados.
No capítulo 15 do evangelho de João, Jesus trata de dois assuntos: versos 1-17 fala o fruto do amor que eles deveriam dar, e dos versos 18 em diante trata sobre as perseguições que o mundo iria proporcionar aos seus discípulos por causa do seu nome. E nesta parte, Jesus justifica todos aqueles atos de profanação e ridicularização contra a fé cristã. O ódio do mundo.
Jesus apresenta três razões pelas quais o mundo nos odeia. O mundo nos odeia porque odeia Jesus, o mundo nos odeia porque não pertencemos a ele, o mundo odeia a Jesus e a nós porque não conhece a Deus.  
Ao afirmar que o mundo odeia os discípulos, Jesus estava se referindo as pessoas que são influenciadas pelas ideias satânicas, que vivem segundo a ordem mundana que é contrária aos valores de Deus. As pessoas influenciadas pelo sistema mundano iriam odiar os discípulos, i.é., sentir antipatia, mas não somente isso, iriam sentir uma hostilidade permanente. Iriam tratar os discípulos com aversão e até guerra.  
Jesus deixa muito claro que esse ódio permanente do mundo era devido ao ódio por Ele. Ele diz que primeiro o mundo o odiou, sendo o primeiro alvo do ódio do mundo.
O nome Jesus que carregamos tem esse poder de despertar ódio no coração daqueles que obstinadamente rejeitam os mandamentos de Jesus, que se recusam a dar ouvidos a voz do Espírito Santo de Deus, que preferem viver em suas práticas abomináveis a viver para honrar o nome de Jesus, que não aceitam ser contrariados, que são seguidores de Satanás e seguem seus ideais mundanos.
No verso 19 Jesus apresenta a segunda justificativa do ódio do mundo por nós: é que não somos do mundo. Jesus assegura a seus discípulos que se eles fossem do mundo, receberiam o amor do mundo, o mundo iria amá-los, aplaudi-los. Mas como Jesus os escolheu do mundo, eles seriam odiados.
O ódio do mundo por nós autentica a nossa origem celestial, é uma espécie de termômetro da vida espiritual dos discípulos.
Se o mundo nos odeia, é porque estamos fazendo nosso papel como cidadão celestial; se o mundo nos odeia, é porque como igreja estamos rompendo com as portas do inferno, estamos resgatando, com a mensagem redentora, os cativos de Satanás, estamos travando uma guerra contra as forças espiritais do mal, nas regiões celestiais.
Se o mundo nos odeia é uma prova que estamos guardando firme a nossa confissão de Fé, e não estamos abrindo mão dos princípios divinos. É uma grande prova que estamos indo na contra mão do sistema caído.
Não pertencemos a esse mundo, a igreja não pode ceder às pressões do mundo. A igreja não pode se adequar ao sistema mundano, a igreja não pode abrir suas portas ao mundo, mas sim o inferno é que tem que reforçar seus ferrolhos.
Jesus ainda apresenta uma terceira justificativa para o ódio do mundo. No verso 21, Jesus falando sobre a perseguição, vai enfatizar que eles farão isto por não conhecerem aquele que o havia enviado. O Deus PAI.
Nos versos 22 em diante, Jesus vai mostrar que o fato dele ter vindo e confrontado os seus pecados, eram indesculpáveis. Jesus veio aos judeus, anunciou-lhes as boas novas, expôs os seus erros, fez sinais e maravilhas, no entanto, ao invés de se arrependerem, eles passaram a odiar Jesus.
Se o mundo nos odeia é porque não conhece a Deus. De fato, o mundo não conhece verdadeiramente a Deus. Na verdade, há muitas igrejas que não conhecem a Deus, quanto mais o mundo.
Se hoje o mundo nos odeia é porque esse mundo sabedor de suas práticas pecaminosas, confrontados por elas, não quer se arrepender, não quer se voltar para Deus.
Se o mundo nos odeia, devemos dar glória a Deus, pois é uma prova que estamos fazendo a diferença, não nos conformado a Ele.
Se o mundo nos odeia, saiba que odeiam também a Jesus, ao Deus Pai, ao Espírito Santo, e irão prestar contas por isso.
Se o mundo nos odeia, em nenhum momento, sejamos recíprocos em relação aos sentimentos, pelo contrário, demonstremos amor a estas almas carentes de salvação. O mundo não precisa ser odiado por nós, ele precisa ser amado e alcançado com a mensagem que irá libertá-los da escravidão do pecado.

Francisco Soares Teixeira Júnior

  

 

   

2 comentários:

  1. Passando pela net encontrei o seu blog, estive a folhear achei-o muito bom, feito com muito bom gosto.
    Tenho um blog que gostava que conhecesse. O Peregrino E Servo.
    PS. Se desejar fazer parte dos meus amigos virtuais faça-o de forma a que eu possa encontrar o seu blog para o seguir também.
    Que haja paz e saúde no seu lar.
    Com de grandes vitórias.
    Sou António Batalha.
    http://peregrinoeservoantoniobatalha.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  2. Obrigado pelas considerações! Deus o abençoe grandemente!

    ResponderExcluir