domingo, 14 de maio de 2017

SER MÃE




A primeira palavra que eu aprendi foi mamãe
música que me foi ensinado na minha infância
Música que demonstra certa importância
Para a mulher que me colocou neste mundo de bonança.

Mas como definir ser mãe em um mundo conturbado
Em que as mulheres não atendam para o que Deus tem ordenado
Se valendo de ideia e valor alienado
Que do Deus criador tem se afastado
Para isto a Bíblia preciso recorrer
Olhar exemplos de mulheres e de seu viver
Para poder falar com autoridade de ser mãe e seu proceder


Ser mãe é uma dádiva do Senhor Criador
Foi isso que em Gênesis 4.1 Eva expressou
Quando lhe nasceu um filho com o auxílio do SENHOR
Dádiva esta que Ana desejava possuir
Pois da sua madre nenhuma criança podia vir a existir
Por isso ela chorava e não comia,
mas ao Senhor clamava com  toda sua energia
E o Senhor na sua graça atendeu seu pedido
E um filho ela teve, mas deu ao Senhor como devolvido


Ser mãe é ter consciência de que seus filhos São do SENHOR
Criar os filhos com sabedoria, ensinando de Deus o seu valor
Foi assim que Ana fez com seu pequeno Samuel
Que apesar de pouco tempo desempenhou bem seu papel
Mais ou menos aos três anos de idade ela devolveu ao SENHOR
E o Seu pequeno Samuel se tornou um homem de valor


Ser mãe é necessitar de muita sabedoria
Para desempenhar a tarefa com grande ousadia
Pois educar seus filhos requer muita eficiência
Por isso a ajuda de Deus vem através da vossa diligência


Foi assim que aconteceu com a família de Sansão
Seu pai Manoá clamou a Deus em oração
Para enviar-lhe o anjo dando-lhe a instrução
De como criar seu filho segundo sua orientação
Para que abençoado por Deus pudesse fazer
O que Deus havia preparado no seu Bem querer

Ser mãe é como plantar uma semente celestial
Que dará frutos eternos e uma vida sem igual
Por isso se requer muito esforço e santidade
Para de Deus alcançar sua bondade

Talvez já tenha ouvido falar de Timóteo e do seu caminhar
Que apesar de ter pai grego, tinha uma mãe e uma avó para testemunhar
Loide e Eunice São os nomes dessas abençoadas
Mães que tiveram vidas dedicadas
Mulheres de fé verdadeira que souberam passar de geração a geração
Pois estavam comprometidas com as sagradas letras que as tornaram sábias para a salvação
E na glória do pai um dia estarão
Desfrutando com Deus o gozo eterno da redenção

Mães aqui presentes nesta casa de louvor
Prestem bem atenção na Palavra de Deus, o Senhor Criador
Pois uma CHAMADA para ser diferente lhes foi proposta
Vida de fé verdadeira é isso que o Senhor gosta
Fujam dos prazeres desse mundo enganoso
Que tem como o seu deus o senhor tenebroso
Parem de confiar em si mesmas e na vaidade da vida
E voltem-se para Deus que é a única saída
Resgatem o valor de ser uma mãe cristã
Para que projetem para os filhos um bom amanhã
Servindo a Deus com todo o coração
Esperando a recompensa eterna da salvação.

Poesia feita por Francisco Soares Teixeira Júnior, em homenagem ao dias das mães da Igreja Batista Regular de Novo Juazeiro, recitada em 2015.

sábado, 8 de abril de 2017

Reflexão Sobre a Bênção do Casamento na Perspectiva de Salomão



  Talvez, uma das palavras mais pronunciadas nestes dois últimos anos, tem sido a palavra “crise”. Nosso país passa um momento de grandes dificuldades devido à crise. Pessoas perderam seus empregos, fecharam suas empresas, venderam seus bens, tudo por conta da crise.
  No entanto, apesar de várias crises que o mundo enfrenta, parece que a única importante é a financeira, pois não há tanto alarde para a crise de chuvas, de fome, de moradias, e muito menos, a crise da família.
  É fato que a instituição família vem passando ao longo dos anos por uma série de crises, e nos dias atuais muito mais com a destruição da identidade de gênero no âmbito familiar.
  Diante de um contexto de instabilidade familiar, talvez muitos noivos já se perguntaram: será que vai dar certo? Será que iremos conseguir? Ou mesmo o que fazer para que nossa união seja perpétua e feliz? Como fazer para que nosso matrimônio seja uma bênção?
  Estas perguntas podem ser respondidas a luz de quatro conselhos que são extraídos das palavras de Salomão no livro de Eclesiastes capítulo 4, versículos de 9-12. Apesar do termo casamento não aparecer, fica implícito e explícito que ele está falando da união conjugal.

O primeiro conselho é: reconheça que seu casamento é uma bênção.
O livro de Eclesiastes foi escrito sobre uma perspectiva do homem sem Deus. Salomão deixa muito claro que a vida sem Deus é vazia, sem sentido. Não há satisfação em todas as realizações humanas, sem temer e guardar os mandamentos do Senhor.
  No capítulo 4, após descrever os sofrimentos dos homens nesta vida, e de achar que felizes são os que já morreram, e muito mais felizes, os que não nasceram, por conta da vida vazia do homem sem Deus, e ainda, depois de considerar vaidade, o homem que não tem ninguém, mas que trabalha para satisfação de sua alma, ele abre uns parênteses para falar de algo bom, de algo melhor, apesar da vida sem sentido que os homens têm.

  Ele diz: “Melhor é serem dois do que um ...”. Este adjetivo “melhor” significa bom, agradável, frutífero, moralmente correto, conveniente, feliz. Talvez, essa não seja a ideia do casamento nos dias atuais, mas esta é a ideia de Deus quanto ao casamento.
Salomão deixa muito claro que é melhor estar casado do que solteiro, é mais feliz, é mais prazeroso, é mais agradável, é mais frutífero.
O casamento foi estabelecido por Deus para ser uma bênção na vida dos seres humanos, para ser recheado de felicidade e prazer.
Salomão alista várias razões do casamento como sendo uma bênção. No capítulo 4, ele registra:
9 Melhor é serem dois do que um, porque têm melhor paga do seu trabalho.
10 Porque se caírem, um levanta o companheiro; ai, porém, do que estiver só; pois, caindo, não haverá quem o levante.
11 Também, se dois dormirem juntos, eles se aquentarão; mas um só como se aquentará?
12 Se alguém quiser prevalecer contra um, os dois lhe resistirão; o cordão de três dobras não se rebenta com facilidade.

Precisamos reconhecer que estar casado é melhor, por isso, permitamos que o conceito do plano original de Deus quanto ao casamento, faça parte de nossos ideais. Nunca pensemos no casamento como uma maldição, um fardo, uma prisão. Ou mesmo, nunca permitamos que os nossos pecados desvirtuem a bênção que é o casamento. Entre estar solteiro e casado, o casamento é o melhor.
Adão sentiu-se muito alegre quando viu Eva pela primeira vez. Sentiu-se realizado, completo, esta é afinal minha esposa. O autor de Hebreus descreve o casamento como um estado honroso: “Digno de honra entre todos seja o matrimônio” (Hb 13.4). Estar casado é ser honrado, é participar de um estado de dignidade e privilégio.
Os conceitos contrários a isso, são pensamentos mundanos, formados e divulgados, por aqueles que vivem em constante oposição contra Deus, seguindo o sistema do mundo caído.
 
O segundo conselho é: mantenham a bênção do casamento
Apesar de não tratar de modo direto e específico sobre o que pode impedir de mantermos a bênção no casamento, gostaria de inferir a ideia da unidade entre o casal, baseado nas várias vezes que ele usa o número dois.
Notem que na mente de Salomão o casamento em termos humanos é constituído por duas pessoas, como já citamos, ele disse que é melhor serem dois.
Manter a bênção do casamento é cultivar a fidelidade conjugal, não permitir que uma terceira pessoa venha fazer parte. Pois, o adultério tem sido um grande destruidor das famílias, tanto por parte de homens quanto de mulheres. Infelizmente, temos vivido em uma sociedade que tem isso como algo possível, e por isso, tanto lares deixam de ser bênçãos para maldições.
Deus criou o homem e a mulher, os dois se uniram e tornaram-se uma só carne. Esta ideia precisa estar bem fixada em nossas mentes, pois o adultério irá extrair toda a felicidade e prazer do casamento.
Além dos desconfortos deste mundo que a infidelidade traz, haverá ainda um infortúnio eterno causado por Deus sobre aqueles que desonraram os votos matrimoniais de fidelidade.
Novamente, citando o autor de Hebreus, ele diz que devemos preservar o nosso casamento imaculado. “Digno de honra entre todos seja o matrimônio, bem como o leito sem mácula, porque Deus julgará os impuros e adúlteros.” (Hb 13.4).
Uma das maneiras de mantermos o nosso casamento como uma benção é sermos fiéis a Deus, acima de tudo, e aos votos que fizemos ao nossos conjugues, no dia em que dissemos sim para ele.

O terceiro conselho é: perseverem juntos na manutenção da benção do casamento
Todos sabemos que o casamento não é apenas um mar de rosas, há também os espinhos, e por isso, precisamos perseverar na extração destes, pois depois que o caule da rosa fica limpo, ela fica fácil de manusear.
Salomão usa quatro ilustrações de adversidades que o casal irá vencer por serem dois e estarem unidos nisto. Ele fala que se os dois trabalharem juntos, a paga é melhor; se os dois caírem, um ajudará o outro a levantar; quando estiverem em tempo frio, os dois se aquentarão; e quando encontrarem um inimigo, os dois prevalecerão.
Notem que as dificuldades serão vencidas se os dois estiverem juntos. Apesar do casamento ser uma benção de Deus, a nossa natureza humana pecadora pode criar certas inconveniências e adversidades no casamento.
Por isso, perseverem juntos contra o orgulho, a soberba, a discórdia, a frieza, o fracasso. Estejam sempre juntos para enfrentar qualquer adversidade que sobrevier em vosso matrimônio.
Permaneçam de mãos dadas em orações para que os momentos adversos sejam vencidos e o casamento seja a bênção que Deus planejou.

O quarto conselho é: deixem Deus fazer do vosso casamento uma bênção
O clímax de todo o sucesso do casamento é ilustrado por Salomão com o número três. Apesar dele ter construído todo um argumento, mostrando a importância de serem dois, e os dois estarem sempre juntos, ele conclui mostrando que o sucesso no casamento só é possível se houver uma terceira pessoa, DEUS.
Ele diz, finalizando sua argumentação: “Um cordão de três dobras não se rebenta com facilidade. ”
A razão principal para a falta de durabilidade no casamento é a ausência de Deus. O Senhor é o criador do casamento, e não podemos deixar de receber dele as orientações, não podemos deixá-lo de fora da vida conjugal. Muitos lares afundam porque Deus não está no barco, muitos lares desabam porque não foram construídos na rocha, que é Cristo.
Todas as adversidades do casamento só poderão ser vencidas, se Deus fizer parte dele. Por isso, não tenham Deus como apenas o criador, ou o abençoador do seu casamento, mas como aquele que é essencial para a manutenção do casamento.
Deus deve fazer parte da vida de vocês, com Deus a corda do casamento será forte e impossível de arrebentar.
Francisco Soares Teixeira Júnior